terça-feira, 19 de julho de 2016

Celebrar, sempre




Há um ano atrás, mamãe Alba deu um susto na família. Passou por momentos muito difíceis, com a saúde debilitada. Graças a Deus, ao acompanhamento dos médicos, incluindo minha irmã Célia, hoje ela está muito bem,

Aliado às orientações médicas, acredito que o bem-estar de mamãe se deve ao carinho, ao cuidado, ao desvelo com que todos nós, seus filhos, nos revezamos para proporcionar tudo o que ela precisa. Tanto os que moram aqui em Macapá, quando os que, mesmo tocando suas vidas em outros Estados, não medem esforços para atendê-la.


Este é o caso de minha irmã Iris, que mora em outro Estado da federação e veio no ano passado para contribuir com sua recuperação, e está aqui até hoje.

Em abril, mês de seu aniversário, nos reunimos todos para celebrar seus 93 anos de vida. Uma bênção que nos foi oportunizada para dizermos a ela o quanto é amada e querida pelos filhos e filhas, genros e noras, netos e netas, bisnetos e bisnetas e tataranetos. Neste período, Marina, bisneta, ainda esperava por seu bebê, que já chegou e é a caçula dos tataranetos.


Mamãe sempre teve uma relação especial com o rio Amazonas, e sempre que levávamos a passear ela dizia que queria ver o rio... assim o fizemos durante muito tempo, entretanto, dias atrás ela disse, com lágrimas nos olhos que achava que nunca mais teria oportunidade de comprar uma lembrança de aniversário para seus filhos, isto por que Camilo e Sandra aniversariam em julho. Daí, então, me perguntei: por que não? E assim começaram os passeios pela cidade.



Primeiro passeio: Shopping Fortaleza, ali ela comprou os presentes pros seus filhos. Voltou maravilhada.

Segundo passeio: Garden Shopping, foi uma surpresa, quando perguntou a mim onde iríamos, eu disse, vamos bater perna. Adorou.

Terceiro passeio: Entorno da Fortaleza. Mamãe viu o seu rio Amazonas mais de perto. Percebo sua imersão nas lembranças de Manaus, sua terra natal.

Ainda no entorno da Fortaleza, com Ney e Sueli;




Quarto passeio: Sábado pela manhã a levei para ver as flores de Holambra, entramos na Igreja São José e no Shopping Vila Nova. Voltou exultante.


Quinto passeio: Monumento Marco Zero. Ficou extasiada.


Ao sair, ainda foi prestigiar a Exposição sobre o Marabaixo.



Sexto passeio: Museu Sacaca. Gostou muito do contato com a natureza. Disse que a felicidade não cabia em seu peito, pois não tinha ideia que existia aqui em Macapá um espaço como aquele.

Bom, mais passeios virão, enquanto houver um espaço em que a acessibilidade seja boa, iremos nós... descobrir belezas, e celebrar a vida.

Espero poder sentir, por muito tempo, a alegria de ver seus olhinhos brilhando de satisfação. De voltar pra casa com ela e ouvir: filha você me fez feliz, obrigada.

Isto não é nada para quem me deu a vida. Queria poder esticar os anos para tê-la sempre ao meu lado, tal qual São Tiago esticou o dia para vencer a batalha contra os mouros.

Amo você, mamãe.






Postar um comentário