quinta-feira, 6 de janeiro de 2011

Tragédia do Novo Amapá motiva visita de Randolfe Rodrigues à Capitania dos Portos

Márcia Corrêa
Jornalista

ACIDENTE NO NOVO AMAPÁ_1 O Senador Randolfe Rodrigues (PSOL) fará, nesta quinta-feira (06), uma visita à Capitania dos Portos do Amapá, localizada no município de Santana. No dia em que o naufrágio do barco Novo Amapá completa 30 anos, o Senador quer homenagear as vítimas da tragédia comprometendo seu mandato com a segurança da navegação nos rios da Amazônia. "O 06 de janeiro é uma data triste para o Amapá, mas que nos alerta. Vou conhecer o aparato utilizado pela Capitania dos Portos, levantar suas necessidades e disponibilidade orçamentária. Levarei esse debate para o Senado", explicou Randolfe.
Nos primeiros meses em Brasíla, como Senador, Randolfe vai agendar audiência com o Comando da Marinha, no Ministério da Defesa, para se colocar à disposição e juntar esforços em prol da fiscalização, destinação de recursos e estruturação da navegação na região. "A tragédia do Novo Amapá não é uma página virada, é uma ameaça latente. A navegação na Amazônia nos faz lembrar da recomendação bíblica 'orai e vigiai' sempre", justificou ele. A visita à Capitania dos Portos acontecerá às 15 horas.
Novo Amapá
Na noite de 06 de janeiro de 1981, o barco Novo Amapá naufragou na foz do rio Cajari, próximo a Monte Dourado no Pará, com 696 pessoas a bordo. Perderam a vida 378 pessoas em um acidente que se tornou símbolo da completa insegurança da navegação na Amazônia. A embarcação tinha registrados oficialmente 150 passageiros, mas o número verdadeiro era o prenúncio do desastre. 
A morte do proprietário da embarcação, Alexandre Góes da Silva, naquela noite, denunciava ainda uma cultura de descuido com a vida e com as condições exigidas para navegação segura, por parte das tripulações e da própria população ribeirinha. De lá para cá a realidade mostra que essa situação persiste.

Foto do arquivo pessoal do escritor Paulo Tarso

Postar um comentário