quarta-feira, 30 de abril de 2014

Dádiva.

Alba Cavalcante da Silva, minha mãe.
Hoje minha mãe completa 91 anos de idade e não pude abraçá-la, nem pedir sua bênção. Dói. A despeito de tudo e de todos, hoje, especialmente, meu coração se enche de ternura e carinho por essa mulher que enfrentou grandes batalhas para criar e manter 12 filhos.
As atitudes que cada um desses filhos assume durante sua caminhada diz respeito a cada um e não invalida o amor e o respeito que transborda do meu coração.
Hoje agradeço pela dádiva da vida, a vida que minha mãe me proporcionou e que me permitiu parir meus quatro filhos que significam a plenitude de minha existência.
Agradeço pela bondade divina que permite que, aos 91 anos minha mãe esteja lúcida e escolha exatamente quem ela quer que fique ao seu lado. É o exercício pleno de sua vontade e isto, também, é uma dádiva.

Hoje, daqui do meu cantinho rogo a Deus e Nossa Senhora, que cubram minha mãe de luzes para que sua caminhada pela vida seja coroada de êxito.
Postar um comentário