domingo, 10 de outubro de 2010

FIO DE CAMINHO

Publicado no jornal Correio do Amapá de domingo, 10.10.10

Manoel Bispo Manoel Bispo

Todo caminho é sem rumo

cruza farpados, rios e matagais

faz curva que nem o esse

quem dera, flor, eu pudesse

saber descaminhos mais.

 

Todo caminho é de vaivém

tem andarilho, poeira e pó

visagem na encruzilhada

lua de prata na madrugada

aluminando quem anda só.

 

Todo caminho é atalho

na pressa amiga dos passos

pelas pousadas da vida

é feito uma linha partida

que a gente junta os pedaços.

 

Todo caminho é sem tino

anda de frente pra trás

passa por todos os cantos

leva gente, recados e quantos

amores, para nunca mais.

 

Corro com as pernas do vento

mãe d'água quer me agarrar

beira de rio me fascina

faz tontear minha sina

canoa dá sede de viajar.

 

Fio de caminho me leva

de mim querendo esquecer

que nem menino encantado

sorrindo e sendo levado

pras bandas do endoidecer.

________________

Manoel Bispo é artista plástico, compositor e poeta.

Publicado no livro Canto dos Meus Cantares. GEA/SEC. Macapá, AP. 1990.

Postar um comentário